Menu fechado
Perguntas Frequentes

É um aplicativo que deve ser utilizado em conjunto com o sensor para o exame de Monitoramento Digital da Apneia do Sono.

Pacientes que precisam diagnosticar se possuem Apneia do Sono e pacientes em tratamento de apneia para monitorar a evolução da doença.

Não, o Biologix é uma plataforma para monitoramento digital da apneia do sono, para tratamento consulte um profissional da saúde.

Fazemos o diagnóstico de apneia do sono a partir da oximetria. Quando o paciente para de respirar, característica principal dos eventos de apneia, o nível de oxigênio no sangue diminui. Nossa solução detecta essas quedas e, com isso, faz o cálculo do IDO (índice de dessaturação de oxigênio). Com base nos dados do nosso estudo de validação da solução e da literatura sobre apneia do sono, adotamos valores de referência para classificar o resultado obtido como normal, apneia leve, moderada ou acentuada.

Não, o Biologix apresenta somente o IDO (índice de dessaturações de oxigênio), que é o indicador de ocorrência de apneia do sono.

Sim, é preciso que o smartphone esteja conectado à internet para iniciar e finalizar o exame.

Significa saturação de oxigênio periférica medida com oxímetro de pulso, que mede a quantidade de oxigênio no sangue.

Significa frequência cardíaca é representada pelo número de vezes que o coração bate por minuto, seria um indicador do trabalho cardíaco.

Significa índice de perfusão (Perfusion Index), um indicador de intensidade do sinal do sensor Oxistar. Um PI muito baixo dificulta o cálculo da FC e da SpO2, portanto para um correto funcionamento do sensor é desejável um PI maior do que 0,8%. Condições clínicas como hipotermia, vasoconstrição, hipovolemia, doença vascular periférica e anemia podem fazer com que o PI seja baixo, impossibilitando o cálculo de SpO2 e FC.

É recomendável que a bateria seja recarregada por 2 horas antes do uso para não correr o riso da carga acabar durante o exame.

Não, o sensor Oxistar não funciona enquanto sua bateria está sendo carregada.

O sensor Oxistar liga quando é colocado no dedo e desliga ao ser retirado do dedo depois de alguns segundos.

O sensor deve ser colocado no dedo com o lado das luzes indicadores voltadas para o lado da palma da mão. A ponta do dedo deve encostar no fundo do sensor, e a fita adesiva fornecida com o kit deve ser utilizada para fixar o sensor no dedo, evitando que caia durante o exame.

Não tem problema, e não é necessária nenhuma ação no aplicativo, ao recolocar o sensor no dedo o exame é retomado normalmente, desde que não ultrapasse 30 minutos sem o sensor.

Sim, o sensor pode ser compartilhado, porém o uso do aplicativo é individual. Cada usuário deve criar uma conta com seu cpf no aplicativo Biologix, caso contrário o resultado do exame será salvo com os dados de outra pessoa, comprometendo o diagnóstico e o tratamento realizado pelo profissional da saúde.

Após a conclusão do exame, o resultado do fica disponível para o centro credenciado automaticamente. Portanto, assim que o paciente finalizar o exame, o mesmo deve se dirigir até o centro credenciado para fazer a devolução do sensor e obter o resultado.

Sim, é possível compartilhar a versão para impressão do exame através de redes sociais ou e-mail. Para isso, é necessário solicitar a liberação do exame pelo centro credenciado e em seguida acessar o aplicativo Biologix na aba de “meus exames”.

O resultado do exame é composto por informações cadastrais, período em que o exame foi realizado, condições na noite do exame, questionário e o resultado de acordo com os parâmetros do exame Biologix (oximetria, frequência cardíaca, movimento das mãos e o ronco).

O exame é gerado imediatamente após a conclusão do exame no app.

O exame só é gerado se a duração dele for de pelo menos 4 horas com dados válidos. caso contrário essa noite não será considerada, e você poderá fazer outro exame.

É normal que o IDO varie de uma noite para outra, pois os eventos de apneia são altamente impactados por algumas condições, tais como a posição do paciente, o nível de cansaço, a quantidade de tempo de sono, entre outras. Porém, na maioria dos casos, a variação no valor do IDO de uma noite para outra não é elevada a ponto de mudar a classificação dada à apneia do paciente (normal, leve, moderada ou acentuada). Isso é mais recorrente nos casos em que o valor do IDO está próximo à fronteira entre duas classificações. Assim, o especialista será sempre o responsável por fazer a análise dos resultados do exame e, junto aos sintomas associados descritos pelo paciente, apresentar a melhor solução para o problema de cada indivíduo.

Sua dúvida não foi respondida acima?

Receba o contato do nosso consultor