Menu fechado

Diminuição da libido e impotência sexual
Sabia que falta de sono pode afetar o sexo?

Você se sente cansado demais para fazer sexo? Saiba que você não é o único! Sim, a vida sexual é intimamente ligada ao sono. Você pode ter algum distúrbio do sono.

 Dormir pouco ou mal prejudica a vida sexual tanto de homens quanto de mulheres. É cíclico, uma noite mal dormida gera preguiça, desânimo e culmina com a falta de interesse em sexo. Mudar os hábitos de vida pode corrigir este problema. Dormir bem e acordar descansado, dá outro gás ao corpo e faz com que as atividades do dia a dia sejam mais prazerosas.

Receba conteúdo em primeira mão

Quem sofre de algum distúrbio do sono, apresenta baixa na libido e piora na qualidade das relações sexuais porque há uma alteração negativa na liberação dos hormônios que comandam o desejo sexual, como a testosterona e o estrógeno. E isso afeta tanto homens quanto mulheres.

Homens com Apneia Obstrutiva do Sono, um distúrbio respiratório do sono, tem menor frequência e desejo sexual, em comparação aqueles sem o problema. Há uma redução dos níveis de testosterona e aumento do risco de problemas cardiovasculares, que podem estar associados à disfunção erétil e outras dificuldades sexuais. Nas Mulheres acredita-se que a Insônia e outras perturbações do sono causadas pela menopausa sejam culpadas pelas noites mal dormidas e dessa forma a falta de disposição para o sexo das mulheres.

Embora outros fatores também devam ser considerados, como alimentação e atividade física, a falta de sono e cansaço são os principais responsáveis pela queda na libido.

Por isso é importante você buscar um profissional de saúde especializado em medicina do sono para diagnosticar o distúrbio e traçar um tratamento para a doença.

A Apneia Obstrutiva do Sono (AOS) prejudica o desejo sexual tanto de quem sofre quanto do parceiro. A apneia faz com que a pessoa ronque muito e acorde várias vezes a noite com a sensação de que está se engasgando. É uma sensação para lá de desagradável e não proporciona o descanso necessário para o corpo. Por outro lado, o parceiro de quem sofre com esse problema simplesmente não descansa e sofre por tabela por causa do ronco alto.  

Para diagnosticar a doença, o profissional poderá solicitar exames que monitorem o sono do paciente. Uma alternativa é o Monitoramento Digital da Apneia do Sono, o Biologix. É um exame para se fazer em casa, simples, prático e eficaz, sem a necessidade de dormir em um laboratório do sono. Na hora de dormir, basta colocar o sensor Oxistar, um oxímetro de alta performance, no dedo e iniciar o exame no App Biologix. No dia seguinte, ao terminar, o resultado fica pronto em segundos.

Outra opção é a polissonografia, realizada dormindo uma noite em um laboratório do sono sendo monitorado por sensores que registram a passagem do ar pelo nariz e boca, a oxigenação sanguínea, frequência cardíaca, atividade cerebral e movimentos do tórax e de membros.

O tratamento costuma incluir mudanças no estilo de vida, como perda de peso, e o uso de um dispositivo de assistência respiratória durante a noite, como um aparelho de pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP) ou em casos mais leves o uso de aparelhos intra-orais (AIO).

Agora que você já sabe que a falta de sono afeta a vida sexual, busque orientação médica para uma melhor qualidade de vida.

IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis neste blog possuem apenas caráter educativo.

Veja também

Receba o contato do nosso consultor