Menu fechado

 Apneia do sono pode aumentar o risco de doença de Alzheimer e derrame, mostra estudo
Como diagnosticar a Apneia do Sono em seus pacientes

A apneia do sono é um distúrbio do sono caracterizado pela respiração interrompida durante o sono, muitas vezes levando a acordar durante a noite e uma falta geral de sono reparador.

Embora o ronco seja muitas vezes visto como pouco preocupante, uma nova pesquisa mostra que a apneia do sono pode aumentar o risco de derrame, doença de Alzheimer e declínio cognitivo.

Um estudo publicado dia 10 de maio na Neurology envolveu 140 participantes, com idade média de 73 anos, do Mayo Clinic Study of Aging. Esses participantes não tinham demência e foram submetidos a pelo menos uma ressonância magnética cerebral e polissonografia (PSG), um estudo noturno em um laboratório do sono.

O estudo analisou fatores do sono e biomarcadores da saúde da substância branca do cérebro. Os biomarcadores medem o quão bem a substância branca do cérebro é preservada, o que é importante para conectar diferentes partes do cérebro. Um dos biomarcadores, as hiperintensidades da substância branca, são pequenas lesões visíveis em exames cerebrais. As hiperintensidades da substância branca tornam-se mais comuns com a idade ou com pressão alta descontrolada. O outro biomarcador mede a integridade dos axônios, que formam as fibras nervosas que conectam as células nervosas.

Os pesquisadores descobriram uma associação potencial entre apneia do sono, sono profundo reduzido e sinais indicativos de doença cerebrovascular precoce, que está associada a um risco aumentado de derrame, doença de Alzheimer e declínio cognitivo. Eles descobriram que, para cada diminuição de 10 pontos na porcentagem de sono de ondas lentas (profundo), havia um aumento nas hiperintensidades da substância branca (pequenas lesões cerebrais), semelhante ao efeito do envelhecimento de 2,3 anos, e uma diminuição na integridade axonal (comunicação das células cerebrais), semelhante ao envelhecimento de três anos.

Como a apneia do sono afeta a saúde do cérebro a longo prazo?

A apneia do sono está associada à redução da oxigenação, aumento dos picos de adrenalina (quando seu corpo reconhece a falta de oxigênio e o força a acordar), hipertensão, refluxo gastroesofágico, fibrilação atrial, sono de má qualidade (menos sono profundo e sono REM) e risco de declínio cognitivo. Portanto, é uma causa provável de declínio cognitivo relativamente comum, muitas vezes não diagnosticada e subtratada em muitos indivíduos.

O sono profundo desempenha um papel crucial na restauração do cérebro e na consolidação da memória. Quando os indivíduos com apneia do sono passam menos tempo nesse estágio restaurador do sono, isso pode prejudicar sua função cognitiva e aumentar o risco de declínio cognitivo ao longo do tempo. E como a apneia do sono está associada à hipertensão e à fibrilação atrial, as pessoas com o distúrbio correm maior risco de acidente vascular cerebral. 

Simplificando, um cérebro que não está bem descansado tende a funcionar pior. Isso se manifesta como mudanças na tomada de decisões e no humor.

Como diagnosticar a apneia do sono? 

Muitas pessoas descobrem que têm apneia do sono através de seu parceiro que testemunha seu sono interrompido durante a noite. Se houver uma preocupação com a apneia do sono, um estudo do sono deve ser considerado para determinar o diagnóstico. 

O Exame do Sono Biologix é um exame para o seu paciente fazer em casa, simples, fácil de usar e eficaz, sem a necessidade de dormir em um laboratório do sono. Um sistema de polissonografia simplificado e inovador, o Biologix, está transformando a forma como os pacientes com apneia do sono experimentam os estudos do sono. Com recursos de inteligência artificial e sem fio, o Exame do Sono Biologix permite que os pacientes mantenham seu senso de independência enquanto se movem livremente durante a noite. Confortável e seguro, eles podem se movimentar até o banheiro ou se levantar para tomar um copo d’água, sem prejudicar o exame. Uma polissonografia simplificada infinitamente mais versátil, que pode atender pacientes onde quer que estejam – em casa ou no hospital.

Se a apneia do sono for diagnosticada, existem várias opções de tratamento disponíveis. O tratamento mais comum e eficaz é a terapia de pressão positiva nas vias aéreas, também conhecido como CPAP, que envolve o uso de uma máscara sobre o nariz ou nariz e boca durante a noite, , fornecendo um fluxo contínuo de ar, mantendo as vias aéreas abertas e evitando interrupções na respiração.

Além disso, mudanças no estilo de vida podem contribuir significativamente para o controle da apneia do sono. Isso pode incluir manter um peso saudável, evitar álcool e sedativos antes de dormir, dormir de lado em vez de de costas e estabelecer uma rotina de sono consistente. 

Reconhecer o impacto da apneia do sono nessas condições neurológicas é crucial para a intervenção e prevenção precoces. 

Priorizar o sono saudável e buscar tratamento adequado, como terapia de pressão positiva nas vias aéreas, pode ajudar a aliviar as interrupções respiratórias durante o sono, melhorar a qualidade do sono e pode potencialmente fazer uma diferença significativa na redução dos riscos de doença de Alzheimer, declínio cognitivo e acidente vascular cerebral associados a apneia do sono.

A apneia do sono é uma das causas comuns em pacientes com declínio cognitivo, e muitas vezes é negligenciada pelos médicos, por isso é importante que os pacientes e familiares estejam cientes disso e conversem com seus médicos. 

Biologix e a democratização do diagnóstico do ronco e Apneia do Sono

Fundada em 2015, na cidade de São Paulo, a Biologix é uma healthtech do ramo de Medicina do Sono cuja missão é democratizar o acesso ao diagnóstico e possibilitar o acompanhamento do tratamento do ronco e Apneia do Sono no Brasil. Para isso, conta hoje com uma solução validada clinicamente e aprovada por profissionais renomados na área: o Exame do Sono Biologix.

O Exame do Sono Biologix é uma poligrafia noturna que requer apenas um smartphone e um sensor compacto, sem fios e eletrodos conectados ao paciente, para ser realizada. O sensor pode ser adquirido a um baixo custo por qualquer profissional de saúde ou Centro Credenciado Biologix.

Para realizar o diagnóstico da AOS, o Exame do Sono Biologix faz a captação e o processamento de diferentes parâmetros durante toda a noite de sono. O sensor Oxistar é responsável por registrar a saturação de oxigênio no sangue do usuário e marcar as ocorrências de dessaturações; monitorar a frequência cardíaca; calcular o sono estimado para cada exame; etc. Já o smartphone realiza a gravação, registro e classificação dos roncos, bem como o processamento de todas as informações coletadas. Com estes dados, calcula-se um índice chamado de IDO — medida utilizada por profissionais da saúde para inferir o grau de Apneia do Sono do paciente, a partir de uma tabela com valores de referência. Por ser um processo completamente automatizado, ele garante a total privacidade dos dados dos usuários.

A tecnologia utilizada no Exame do Sono Biologix já foi validada clinicamente e a confiabilidade de seus resultados foi comprovada por profissionais especializados do Laboratório do Sono do Instituto do Coração da FMUSP e pelos órgãos regulatórios competentes do Brasil. Atualmente, a solução conta com uma sensibilidade de 95,1%, especificidade de 80,2% e acurácia de 90,1% no diagnóstico da AOS, quando comparada ao exame padrão ouro de polissonografia no laboratório do sono. 

Ficou interessado? Quer colaborar conosco para transformar a saúde do sono no Brasil? Então acesse nosso site e redes sociais e venha conhecer um pouco mais sobre as soluções que estão revolucionando o diagnóstico de ronco e Apneia do Sono no país!

Compartilhe este conteúdo:

Veja também

Aoba!!!

Caso seja um profissional de saúde,
clique abaixo para falar conosco via WhatsApp:

Caso seja um paciente ou prefira enviar um e-mail,
fale conosco no endereço relacionamento@biologix.com.br

Receba o contato do nosso consultor