Menu fechado

Apneia do Sono e diabetes: qual é a relação?
Sono e diabetes

apneia-do-sono-e-diabetes-qual-e-a-relacao-disturbios-do-sono

A Hora do sono não deveria ser motivo de preocupação, mas para muita gente os distúrbios do sono são um pesadelo! A Apneia do Sono se não tratada facilita o aparecimento de doenças, como a diabetes por exemplo.

Você já sabe o que é Apneia? Vamos te contar: a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é uma doença muito comum, caracterizada pela obstrução das vias aéreas superiores durante o sono, normalmente acompanhada da redução da saturação de oxigênio no sangue, seguida de um breve despertar para respirar. As principais manifestações durante o sono incluem ronco alto e frequente, pausas respiratórias, fragmentação do sono, levando a prejuízos diurnos incapacitantes, como sonolência excessiva diurna, alterações cognitivas e cefaleia matinal. 

Vamos falar um pouco sobre a doença e a sua relação com a diabetes. Se você ainda tem alguma dúvida sobre Apneia, continue lendo!

Receba conteúdo em primeira mão

Segundo o artigo Diabetes e Apneia: saiba qual é a relação publicado pelo site http://www.maisequilibrio.com.br/, Cientistas americanos descobriram uma conexão entre a pré-diabetes e o distúrbio do sono. Foi constatado que a apneia do sono pode afetar o controle do diabetes de muitas maneiras. Durante o sono na tentativa de retomar o oxigênio pela respiração, o organismo libera hormônios do estresse que podem elevar os níveis de glicose no sangue, que se não forem tomadas medidas corretas a pessoa pode desenvolver diabetes. É comum quem sofre de Apneia se alimentar mais vezes durante o dia para não ficar sonolento. Além do corpo estar mais cansado e dessa forma não consegue fazer exercícios. Essa combinação de maior ingestão de alimentos e menos atividades físicas contribui para o descontrole da diabetes.

O artigo Apneia do Sono, Insulino-resistência e Diabetes Mellitus Tipo 2, publicado pela Revista Portuguesa de Diabetes, em 2008, no site http://www.revportdiabetes.com/,  aponta que “Atualmente a diabetes mellitus tipo 2 é reconhecida como uma epidemia mundial, o que não acontece ainda com as alterações ventilatórias do sono. A apneia do sono é associada a um risco de morbilidade e mortalidade considerável, com vários estudos apontando uma relação causal entre a apneia e hipertensão arterial, diabetes mellitus e doença cardiovascular”.

E Ainda “A diabetes mellitus tipo 2 e a apneia obstrutiva do sono são patologias com elevada prevalência, que frequentemente coexistem. Observa-se uma elevada prevalência de apneia do sono nos doentes com hiperglicemias intermédias e diabetes mellitus tipo 2, e vice-versa. Paralelamente, verifica-se uma associação entre apneia do sono e hipertensão arterial e doença cardiovascular. Uma explicação apontada para estes fatos é a presença de fatores de risco comuns, como a obesidade, embora estudos recentes mostrem uma associação entre as patologias referidas, independentemente do excesso”.

Mas o que fazer? Primeiro entender que dormir mal não é normal! (Até rimou, não é?) Então vamos lá:

Caso desconfie de que pode sofrer algum distúrbio de sono procure ajuda médica. O Especialista irá pedir exames que monitoram seu sono.

Uma opção é o Exame do Sono Biologix, Que pode ser feito em casa, simples, prático, eficaz e validado clinicamente. Na hora de dormir, basta colocar o sensor no dedo e iniciar o exame no App Biologix. Ao acordar basta clicar em concluir exame para receber o resultado em segundos no seu e-mail.

Ou ainda, o diagnóstico pode ser feito por um exame chamado Polissonografia, mais complexo  pois ele  é  realizado dormindo uma noite num laboratório do sono, onde o paciente é monitorado por sensores que registram a passagem do ar pelo nariz e boca, a oxigenação sanguínea, frequência cardíaca, atividade cerebral e movimentos do tórax e de membros.

E qual o tratamento indicado?

No geral a diabetes deve ser tratada por meio do controle do nível de açúcar no sangue, com dietas, atividades físicas, medicamentos orais ou aplicação de insulina. Também é necessário realizar exames regularmente para verificar a presença de complicações.

para a apneia do sono, o tratamento depende do nível da síndrome, nos casos de apneia leve, pode ser indicada adoção de atitudes como perda de peso, redução do consumo de álcool à noite e mudanças no hábito de dormir e/ou também a utilização de um aparelho intraoral, pois seu uso possibilita fazer um avanço mandibular;

Para síndromes de nível moderado ou severo geralmente indica-se a utilização de CPAP, sigla em inglês para pressão positiva contínua nas vias aéreas, ou seja, um fluxo de ar para abrir as vias aéreas do paciente.

Algumas cirurgias de vias aéreas superiores também são consideradas, analisadas caso a caso.

Então pessoal estão gostando do nosso conteúdo? Deixe seu comentário aqui!

IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis neste blog possuem apenas caráter educativo.

Baixe gratuitamente o e-book:

Veja também

Receba o contato do nosso consultor