Menu fechado

Apneia do Sono afeta saúde mental e pode causar depressão
Apneia causa depressão e ainda pode afetar a memória

apneia-do-sono-afeta-saude-mental-e-pode-causar-depressao-e-ainda-pode-afetar-a-memoria

Um boa noite de sono vai muito além do descanso físico. Quando você dorme, seu cérebro está ocupado armazenando e consolidando as coisas que você aprendeu naquele dia, coisas que você precisará que estejam na sua memória amanhã, na próxima semana ou no próximo ano. Mesmo quando estamos dormindo, o cérebro processa informações e cria conexões. É durante o repouso, inclusive, que muitos de nós chegam a alguma percepção sobre como solucionar certos problemas. 

Viu o quanto o sono é importante para a sua saúde mental? Continue lendo para saber mais!

Infelizmente nem todos tem um sono reparador e atualmente já são reconhecidos mais de 80 distúrbios do sono. Ou seja, a chance de você sofrer de algum não é tão pequena, mas o mais importante é o reconhecimento do problema para tratamento precoce.

Dentre os distúrbios mais comuns está a Apneia do sono, que pode vir acompanhando ou causar outras doenças, como a depressão. 

Vamos entender um pouco sobre Apneia do Sono. A Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é uma doença muito comum, caracterizada pela obstrução das vias aéreas superiores durante o sono, normalmente acompanhada da redução da saturação de oxigênio no sangue, seguida de um breve despertar para respirar. As principais manifestações durante o sono incluem ronco alto e frequente, pausas respiratórias, fragmentação do sono, levando a prejuízos diurnos incapacitantes, como sonolência excessiva diurna, alterações cognitivas e cefaleia matinal. 

É uma doença que vai além dos sintomas apresentados durante o sono, a Apneia do Sono prejudica bastante a qualidade de vida do paciente. Quem sofre dessa doença tem maior tendência a desenvolver ansiedade e depressão.

Segundo o artigo Apneia do sono aumenta chance de desenvolver ansiedade e depressão, publicado pelo site https://www.diariodasaude.com.br/, publicado em Julho de 2012, quanto maior a gravidade da Apneia maior o risco do paciente apresentar sintomas neurocomportamentais. Um Estudo feito pela Dra. Clélia Maria Ribeiro Franco, neurologista do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), constatou que entre 60% dos participantes da pesquisa que possuem Apneia do Sono em algum grau apresentavam estresse oxidativo. O Estresse oxidativo acontece porque as pausas na respiração durante o sono acarretam momentos de baixa oxigenação do sangue e dos tecidos seguida de reoxigenação. Essa doença se não for tratada pode levar a diversas consequências, inclusive a depressão.

Aqui vamos falar sobre a depressão. A Depressão é marcada por uma tristeza profunda, desânimo, irritabilidade e alterações no sono. Mas porque a Apneia do Sono pode causar a depressão?  Pois a apneia do sono pode causar lesões que afetam a oxigenação no cérebro, a memória e o raciocínio.  Quem tem apneia do sono ainda tem uma baixa liberação de cortisol, o hormônio que controla o nível de açúcar no sangue e reduz o estresse, além da serotonina, que assume o papel importantíssimo na recuperação da memória durante o sono.

Portanto quem sofre de Apneia do Sono e não faz o tratamento não está só comprometendo a qualidade do sono, mas também a sua capacidade de concentração durante o dia e sua saúde mental e emocional. Por isso busque auxílio médico o quanto antes se você sofre de Apneia do Sono. O Diagnóstico é importante para o melhor tratamento. Para o diagnóstico, o médico irá pedir exames que monitoram seu sono.

Uma opção é o Exame do Sono Biologix, Que pode ser feito em casa, simples, prático, eficaz e validado clinicamente. Na hora de dormir, basta colocar o sensor no dedo e iniciar o exame no App Biologix. Ao acordar basta clicar em concluir exame para receber o resultado em segundos no seu e-mail.

Receba conteúdo em primeira mão

Ou ainda, o diagnóstico pode ser feito por um exame chamado Polissonografia, mais complexo  pois ele  é  realizado dormindo uma noite num laboratório do sono, onde o paciente é monitorado por sensores que registram a passagem do ar pelo nariz e boca, a oxigenação sanguínea, frequência cardíaca, atividade cerebral e movimentos do tórax e de membros.

Feito o diagnóstico o tratamento vai depender da causa e/ou nível da síndrome. Caso seja uma Apneia leve, pode ser indicada adoção de atitudes como perda de peso, redução do consumo de álcool à noite e mudanças no hábito de dormir. Outras formas de tratar a doença são utilização de aparelho intraoral, pois seu uso possibilita fazer um avanço mandibular; utilização de CPAP, sigla em inglês para pressão positiva contínua nas vias aéreas. Trata-se de um pequeno equipamento que auxilia a respiração durante o sono ou até cirurgia em casos graves. É um tratamento muito eficiente, pois ele oferece benefícios imediatos para a saúde e qualidade de vida.

IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis neste blog possuem apenas caráter educativo.

Baixe gratuitamente o e-book:

Veja também

Receba o contato do nosso consultor