Menu Close

Entenda como os distúrbios do sono podem afetar a sua imunidade e causar sérias doenças
Entenda qual a relação de distúrbios do sono e imunidade

São considerados distúrbios do sono todos os problemas que acontecem no período entre o sono e a vigília, que impedem o paciente de dormir adequadamente e descansar o  necessário para garantir um bom funcionamento das capacidades mentais ou físicas.

Essas alterações do padrão de descanso são divididas em três categorias principais:

  • Insônias;
  • Sonolência excessiva;
  • Comportamentos incomuns durante o sono.

Nessas três categorias são incluídos todos os transtornos que impedem o descanso completo, de pacientes de todas as idades e gêneros – sendo mais frequente em crianças e idosos –, como:

  • Insônia;
  • Apneia do sono;
  • Sonambulismo;
  • Síndrome das pernas inquietas;
  • Bruxismo;
  • Distúrbio comportamental do sono REM;
  • Terror noturno.

Quando os sintomas começam a ser sentidos é fundamental que as pessoas procurem um diagnóstico adequado e o tratamento correspondente, pois quando o descanso necessário é impossibilitado, todo o organismo e a saúde mental passam a sentir impactos diretos.

Receba conteúdo em primeira mão

Como o sono e o descanso afetam a qualidade de vida

Durante o dia, para realizar as atividades rotineiras, o corpo precisa engajar o sistema endócrino, neurológico, imunológico, respiratório, digestório, entre tantos outros, para permitir a plena funcionalidade física e psíquica.

No entanto, para recuperar o equilíbrio dessas funções e prepará-las para o dia seguinte, o sono se torna a principal ferramenta. Pois é durante esse período que o organismo regenera os tecidos perdidos durante o dia e faz a regulagem do metabolismo.

O tempo necessário para que todas essas funções sejam completadas pode depender da rotina diária de cada pessoa, a idade, alimentação e até o local onde se vive. 

Contudo, caso esse período de repouso não seja cumprido adequadamente, o paciente pode acabar desenvolvendo problemas severos, como:

  1. Perda de memória

O sono acontece em uma repetição contínua de ciclos de 90 a 100 minutos, sendo necessária a repetição de 4 a 5 ciclos por noite, para garantir um descanso apropriado. Isso equivale a aproximadamente 8 ou 9 horas de descanso diários.

Assim, os pacientes que realizam apenas 6 horas ou menos de descanso diário, passam a desenvolver problemas físicos pela falta de regulação do organismo. Isso leva a problemas de raciocínio lógico, dificuldades com o foco ou atenção e a perda de memória.

  1. Envelhecimento precoce

A regeneração celular é mais uma das funções que são desempenhadas majoritariamente durante o sono. 

Essa troca celular garante a integridade das estruturas corporais e dos órgãos, assim, quando não há descanso suficiente essas estruturas param de desempenhar a sua função adequadamente.

Uma das áreas mais afetadas pelo envelhecimento celular é o cérebro e os neurônios, fazendo com que os pacientes tenham uma maior disposição ao desenvolvimento de doenças degenerativas do sistema nervoso, como o Alzheimer e o mal de Parkinson.

  1. Enfraquecimento do sistema imunológico

A insônia é responsável pelo enfraquecimento da produção celular que realiza a defesa imunológica do organismo. 

Assim, as pessoas que não dormem a quantidade de tempo adequada, tendem a ficar expostas a bactérias e inflamações, inclusive, na cavidade oral como nas facetas de resina.

Isso faz com que tanto os dentes e os tecidos orais, como todo o organismo fique mais propenso ao ataque dos agentes infecciosos que causam doenças severas e sintomas persistentes. 

Além disso, esse esgotamento do sistema imune pode atrapalhar até mesmo o tratamento dental por meio de aparelho transparente ou outros tipos de acessórios orais, provocando inflamações gengivais severas, sangramentos e desconfortos importantes.

  1. Tendência ao desenvolvimento de obesidade e diabetes

Como o sono está diretamente relacionado com a regulagem do metabolismo, pesquisas realizadas apontam para a relação entre os distúrbios do sono e o ganho sistemático de peso e o desenvolvimento de diabetes e outras doenças contínuas.

Além disso, como o paciente passa a ter menos energia, é comum que este passe a optar por alimentos mais gordurosos que, além de prejudicar os dentes e os procedimentos odontológicos como as lentes de porcelana, também colabora para o aumento do peso.

Os estudos indicam, ainda, que os pacientes com privação de sono apresentam maior dificuldade com a produção de insulina – realizado pelo pâncreas –, resultando em um aumento no acúmulo de glicose no sangue após as alimentações.

Em longo prazo, essa condição pode culminar no desenvolvimento de diabetes e em uma maior sensibilidade à doenças gengivais que podem ser originadas pela higienização inadequada do aparelho dental de porcelana e de toda a cavidade oral.

Tratamentos e dicas que garantem o descanso necessário

Considerando a importância que uma noite bem dormida tem para o bem estar dos pacientes e para a saúde geral do organismo, a adoção de alguns hábitos e tratamentos que auxiliam na regulagem do sono e no descanso geral, se faz crucial para todas as pessoas.

É muito importante determinar um horário fixo para dormir, realizando todos os costumes de higiene – incluindo banho e a escovação do aparelho dental invisível –, bem como deixando o ambiente escuro e confortável.

Evite todos os tipos de distrações, como celulares e televisão, e beba um chá calmante antes de deitar para descansar. Caso esteja sentindo sintomas importantes de distúrbios do sono deve-se procurar um especialista com urgência.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Lógica de Mercado, uma rede de conteúdos para alavancar negócios e proporcionar mais qualidade de vida e saúde.

Compartilhe este conteúdo:

Veja também

Você será redirecionado ao Whatsapp.
Por favor, selecione uma das opções abaixo:

Receba o contato do nosso consultor