Menu Close

Hipertensão arterial induzida por apneia do sono
Saiba a relação entre apneia do sono e hipertensão arterial

hipertensao-arterial-induzida-por-apneia-do-sono-tratamento-cura-sindrome-da-apneia-obstrutiva-do-sono

Ok, mas aí você me pergunta qual é a relação da hipertensão com a apneia do sono? Para iniciar a relação, vamos falar um pouco sobre a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono? (SAOS). A Apneia do sono é uma doença bem comum, mas pouco conhecida pela população. Caracterizada pela obstrução das vias aéreas superiores durante o sono, normalmente acompanhada da redução da saturação de oxigênio no sangue, seguida de um breve despertar para respirar. As principais manifestações durante o sono incluem roncos, pausas respiratórias, fragmentação do sono, levando a prejuízos diurnos incapacitantes (como sonolência excessiva, fadiga, dor de cabeça, alteração de humor), alterações cognitivas (dificuldade de concentração, memória).   Se você possui esses sintomas, o médico poderá solicitar exames que monitoram seu sono para diagnosticar.

Uma opção é o Exame do Sono Biologix, Que pode ser feito em casa, simples, prático, eficaz e validado clinicamente. Na hora de dormir, basta colocar o sensor no dedo e iniciar o exame no App Biologix. Ao acordar basta clicar em concluir exame para receber o resultado em segundos no seu e-mail.

Ou ainda, o diagnóstico pode ser feitos por um exame chamado Polissonografia, que não é tão confortável pois ele  é  realizado dormindo uma noite num laboratório do sono, onde o paciente é monitorado por sensores que registram a passagem do ar pelo nariz e boca, a oxigenação sanguínea, frequência cardíaca, atividade cerebral e movimentos do tórax e de membros.

Receba conteúdo em primeira mão

Segundo o artigo Apneia do sono e hipertensão arterial sistêmica, publicado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, em 2009 no site https://www.portal.cardiol.br/, a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), é encontrada em mais de um terço dos pacientes com Hipertensão Arterial Sistêmica. Não só pelos fatores de risco comuns entre elas, como a obesidade, sedentarismo e idade, mas também porque a Apneia contribui para a origem da hipertensão.

Algumas pesquisas foram realizadas com participantes que possuem a pressão dentro dos padrões normais e uma constatação feita é que os pacientes com Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), apresentam repetitivos aumentos da pressão arterial associados aos episódios de Apneia e frequentemente eram consideramos como non-dippers, ou seja, que não apresentam queda na pressão entre os períodos de vigília e sono.  Esse padrão é considerado de risco aumentado para o surgimento de doença cardiovascular.

A apneia do sono pode causar hipertensão arterial. A queda de oxigênio, aumento de gás carbônico e aumento da pressão negativa intratorácica podem afetar a regulação da pressão arterial por mecanismos hormonais e de neurotransmissores. Há evidências que pacientes com apneia do sono tenham atividade aumentada da adrenalina, diminuição na sensibilidade dos receptores de pressão, aumento da resposta vascular e alteração no metabolismo do sal e água.

A Hipertensão Arterial Sistêmica é uma doença crónica em que a pressão sanguínea nas artérias se encontra constantemente elevada. A Hipertensão é uma doença silenciosa, mas quando surgem alguns desses sintomas é bom ficar atento:

  • Dor de cabeça;
  • Dor na nuca;
  • Visão embaçada e tontura

Mas é comum a pessoa apresentar pressão alta e não ter nenhum sintoma.

A longo prazo a hipertensão arterial é um dos principais fatores de risco para uma série de doenças graves como a doença arterial coronária, acidente vascular cerebral, enfarte, aneurisma arterial e insuficiência renal e cardíaca.

Os fatores de risco que podem desencadear a Hipertensão Arterial são:

  • Dieta rica em sal;
  • Sedentarismo;
  • Sono irregular;
  • Diabetes;
  • Histórico familiar (Filhos cujo um dos pais é hipertenso, apresentam 25% de chance de desenvolver a doença, e se ambos os pais são, as chances sobem para 60%).

Pessoal, agora que sabemos quais os fatores de risco, precisamos nos prevenir, e um estilo de vida saudável influencia muito. Adotar uma dieta saudável com menos sal, praticar exercícios físicos regularmente e reduzir o estresse pode ajudar a baixar a pressão arterial.

IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis neste blog possuem apenas caráter educativo.

Baixe gratuitamente o e-book:

Veja também

Receba o contato do nosso consultor